Sexta-feira, 20 de Janeiro de 2012

Bio

“XINTIMENTO DI MEU, QUE É TEU TAMBÉM,

ESSA LUZ DE MÚSICA QUE ME ATRAVESSA,

ILUMINA UMA SILHUETA FEITA DE FUSÕES, TROCAS E CONTÁGIOS

MUITO BUNITA.

É O SENTIR FRIU, E DEPOIS O SENTIR ACONCHEGADO QUANDO UM RAIO DE SOL POISA

EM NÓS FUGAZMENTE…E MAIS IMPORTANTE: TOTALMENTE…

MINHA MÃE DO CÉU! EU SINTO-ME VIVA. ACESA. VIVIFICADA. INFLAMADA. ENLAÇADA,

NESSA DANÇA QUE É MEU CAMINHO DE SPIRIT WHISPERER…

JÁ “NÃO PRESSINTO SÓ”.

SINTO.

UMA MAGNIFICA BRISA DOCE NA CARA.

MAGNIFICAI

BOA COMPANHIA.

SORRISO NO CORAÇÃO. FÉ. SEM PÉ!

LARGA’ ALMA NO BALANÇO.

X-I-N-T-I.”

 

          Sara Tavares

 

 

É um convite.

 

Um convite a sentarmo-nos, a descontrairmo-nos, a deixarmo-nos embalar.

 

Um convite a sentirmos — a sentirmos um talento que cresce e se desenvolve em novas e surpreendentes direcções com cada novo trabalho. A sentirmos uma música que vem da alma e nos revela novas e deslumbrantes facetas da sua autora.

 

É, acima de tudo, um desafio: “XINTI!” “SENTE!”

 

Porque é isso que o quarto álbum de Sara Tavares nos pede: que sintamos.

 

Para isso, a cantora e compositora convida-nos como se fosse para sua casa, num fim de tarde quente refrescado pela brisa acústica destas toadas suaves que vêm de um coração suficientemente grande para abranger todo o mundo, acompanhada por músicos de eleição como Mário Delgado, N'du, Gogui Embaló, João Paulo Esteves da Silva, Boy Ge Mendes, Rão Kyao, Miroca Paris ou José Salgueiro.

 

É difícil reconhecer aqui a Sara Tavares que nos foi revelada, faz agora 18 anos. Não porque renegue os primórdios da sua carreira; apenas porque 18 anos decorreram entretanto e ela tomou as rédeas da sua carreira com uma invulgar determinação.

 

O seu primeiro álbum foi gravado com o coro gospel Shout!; o segundo, “Mi Ma Bô”, propunha uma sonoridade de fusão afro-pop-soul raramente tentada em Portugal, registada em França e produzida pelo franco-congolês Lokua Kanza. Chegaria ao Disco de Ouro em Portugal– inabitual num mercado onde a música de raízes negras só muito raramente atinge os primeiros lugares de vendas.

 

Ambos foram passos de gigante em direcção a uma sonoridade pessoal e intransmissível, onde as suas raízes cabo-verdianas, o seu amor pela soul e a sua facilidade com uma melodia contribuem para criar uma verdadeira música do mundo.

 

Uma música do mundo alimentada pelos encontros e pelas viagens que Sara Tavares fez ao longo dos anos, a partir do momento em que “Mi Ma Bô” começou a viajar e a sua autora com ele. Tinha já havido concertos em África e na Europa, colaborações com músicos brasileiros (como Ivan Lins), espanhóis ou alemães.

 

Mas foi uma fantástica actuação no mercado de world music WOMEX, em Roterdão, na Holanda, que lhe abriu as portas do mundo: actuações em Espanha, Itália, Finlândia, Suiça, Alemanha, Bélgica, França, Namíbia, Zimbabué...

 

À medida que Sara Tavares viajava, e que as suas experiências enriqueciam a sua música, ela descobria também uma nova simplicidade, uma confiança cada vez maior na sua voz.

 

“Balancê”, o terceiro álbum, foi ao mesmo tempo a prova de que este talento não estava disposto a manter-se fechado em gavetas; o seu verdadeiro cartão de visita internacional, com edição um pouco por todo o mundo; e a confirmação de uma cantora-compositora capaz de fazer a ponte entre África e a Europa com uma sensibilidade pessoalíssima. Tudo reconhecido pelo sucesso comercial (em Portugal, “Balancê” atingiu o Disco de Platina) e pela aclamação da crítica (Sara Tavares foi nomeada como Artista Revelação para os prémios BBC de World Music em 2007).

 

Mas todas as viagens implicam também um regresso a casa para descansar, recuperar energias e decidir o próximo destino. É exactamente a esse regresso que Sara Tavares nos convida com “Xinti”: descobrir estas canções é descobrir o modo como o seu talento cresce com cada nova viagem, como a sua visão do mundo não exclui mas inclui. E o privilégio de podermos fazer parte dessa descoberta é algo de inesquecível.

 

“Xinti” é um convite para sentirmos o mundo de Sara Tavares; um disco, uma tournée que começou em 2009 em Portugal, Europa e EUA mas que em 2010 teve de ser interrompida por motivos de saúde.

 

Já recuperada, em 2011 recebeu o prémio de Melhor Voz Feminina nos Cabo Verde Music Awards; foi convidada de Nelly Furtado e Joss Stone nos seus espectáculos em Lisboa e retomou a apresentação ao vivo da sua tournée "Xinti", que continua em 2012, apresentando-se, finalmente, em Lisboa e Porto.

 

 

Discografia:

 

“Sara Tavares & Shout!” (BMG 1996)

“Mi Ma Bô” (BMG 1999)

“Balancê” (World Connection 2005)

“Alive in Lisboa” (DVD World Connection 2008)

“Xinti” (World Connection 2009)

publicado por Sara Tavares às 10:12

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

.pesquisar

 

.posts recentes

. Bio

.arquivos

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds